Gestão de ArquivosInovação

Quais os melhores métodos de arquivamento para seus arquivos digitais?

By julho 6, 2018 No Comments
métodos de arquivamento

São vários os métodos de arquivamento de ativos digitais disponíveis atualmente. Do pendrive aos gerenciadores na nuvem, todos têm seus prós e contras. A diferença é que as opções mais modernas estão melhor preparadas para atender às demandas mais urgentes, especialmente aquelas voltadas à interatividade digital.

Com as pessoas conectadas o tempo todo, tanto no ambiente de trabalho quando nos momentos de lazer, utilizar a transformação digital a seu favor tornou-se prática indispensável para todos os que prezam por uma rotina mais prática e intuitiva.

Tratando-se mais especificamente do mundo dos negócios, a produção de conteúdo já é uma prática constante. Para atender às expectativas dos consumidores dessas informações, é preciso agir rápido e adotar métodos de arquivamento eficazes e eficientes ao mesmo tempo – preferencialmente aqueles que se integram facilmente a outros processos rotineiros, como o compartilhamento de materiais nas redes sociais e o acesso facilitado de colaboradores a esses arquivos.

Neste post abordaremos os métodos de arquivamento mais comuns, fornecendo também uma visão geral sobre cada um deles, para que você decida qual é a melhor opção para a sua demanda, seja ela qual for.

Prepare-se para descobrir mais sobre:

  • Pendrives
  • HDs externos
  • DVDs e Blu-rays
  • NAS
  • Nuvem

Vamos lá?

Armazenar ativos digitais em pendrives

Apesar de estarem ultrapassados e não serem a melhor opção para muitos casos, os pendrives ainda são utilizados em casos mais simples, geralmente para armazenar músicas, fotografias ou documentos que precisam de transporte facilitado e acesso que não exija uma conexão à internet.

Disponíveis em diversas capacidades, são portáteis e, por isso, facilmente transportados. Por utilizarem memória flash, estão menos suscetíveis a erros e precisam apenas de um computador com entrada USB para funcionar.

Mas, atenção: o uso de pendrives em dispositivos não confiáveis pode ocasionar a obtenção e transmissão de vírus, ocasionando perdas ou danos aos arquivos e equipamentos envolvidos no processo. Além disso, por serem pequenos, podem ser facilmente danificados ou perdidos. Então, todo cuidado é pouco!

Armazenar ativos digitais em HDs externos

Os discos rígidos, também chamados de HDs (hard drives), também possuem capacidades diversas para o armazenamento de arquivos e, assim como os pendrives, precisam de entrada USB para conectarem-se aos dispositivos em uso.

Entretanto, os HDs utilizam, como o próprio nome indica, discos rígidos. Ou seja, há literalmente um disco girando a, normalmente, 5.400 RPM ou 7.200. Ou seja, apesar de oferecerem maior espaço para armazenagem, normalmente acima dos 500 gigabytes, são relativamente mais lentos que as memórias flash – que é o caso dos pendrives.

Os discos rígidos são mais indicados para o gerenciamento de materiais mais pesados ou em maior quantidade, como filmagens longas, imagens em alta resolução e afins. Portabilidade e preço são vantagens, uma vez que o preço por gigabyte é inferior às memórias flash. Entretanto, as partes mecânicas possam apresentar erros e falhas com o tempo.

Dessa forma, os HDs são como uma extensão dos pendrives, atendendo a demandas maiores e com custos mais atrativos.

Armazenar ativos digitais em DVDs e Blu-rays

Estes métodos de armazenamento de ativos digitais talvez sejam os mais baratos do mercado, embora já estejam defasados.

São bons para arquivos que não sofrem atualizações constantes, materiais que não são modificados com frequência. Não à toa algumas filmagens de casamentos e fotos de formaturas, por exemplo, ainda utilizem esses meios para eternizar os momentos marcantes.

Um dos pontos negativos é a falta de conveniência, uma vez que os todos os dispositivos mais modernos não possuem nem drive ótico para a leitura de DVDs e Blu-rays. A gravação de arquivos nessas mídias também pode se tornar complicada, já que na maioria dos casos a instalação de softwares específicos é necessária.

Além disso, por serem frágeis, os DVDs e Blu-rays estão muito mais suscetíveis a danos, perdas e, principalmente, os riscos.

Armazenar ativos digitais em soluções NAS

Network Attached Storage (NAS), ou armazenamento conectado à rede, é uma solução para a gestão de ativos digitais que conta com acessos a partir de diversos computadores, através de conexão por rede. Oferece recursos de valor agregado, como streaming de vídeo para dispositivos inteligentes, assim como alto desempenho.

As vantagens, porém, podem trazer em contrapartida custos de aquisição e manutenção muito altos. As soluções NAS são indicadas para o armazenamento de arquivos pesados, grandes volumes e/ou quando diversas pessoas necessitam de acesso ao mesmo acervo.

Por trabalhar com espelhamento, evitam a perda de dados ocasionada por falhas de disco, muito embora sejam mais indicadas para a organização de arquivos do que para funcionar como backup em si.

Armazenar ativos digitais na nuvem

A tecnologia de cloud computing vem conquistando cada vez mais espaço com a transformação digital e tem seus méritos. Diversos programas que funcionam na nuvem são gratuitos e, os que não são, oferecem planos escaláveis que se adaptam às necessidades de cada organização ou pessoa, sem cobrar por serviços não utilizados.

Uma grande vantagem desse método de arquivamento é que as plataformas são acessíveis através de qualquer dispositivo conectado à internet, e os usuários podem estar em qualquer lugar do mundo, eliminando a grande maioria dos empecilhos físicos.

Ademais, ativos digitais mantidos na nuvem evitam confusões sobre a última versão salva, fazem o monitoramento de acesso e edições por login e senha, e facilitam a integração com outras plataformas e plugins.

O Assetify é uma das opções mais modernas e seguras do mercado. Utilizando a mesma tecnologia de armazenagem em nuvem do Google, a solução permite uma série de integrações e compartilhamentos inteligentes, além de possibilitar a busca e a categorização de arquivos através de palavras-chave, reconhecimento visual, símbolos, frases e até pessoas. Tudo isso baseado em princípios de Inteligência Artificial e Machine Learning!

É claro que os métodos de arquivamento em cloud computing exigem organização por parte do usuário. Não basta apenas transferir o conteúdo para a nuvem, sem considerar um planejamento para otimizar os processos. Veja aqui algumas dicas infalíveis para organizar arquivos e pastas no ambiente virtual.

Leave a Reply